João Mota da Costa

"Lunch Time Affair – Chapter I (ten rooms for sex)"

Lunch Time Affair – Chapter I (ten rooms for sex)

“Lunch Time Affair” é um trabalho sobre as relações de amor e sexo que ocorrem maioritariamente na hora de almoço em Motéis, refletindo relações ilícitas e marginais que ocorrem em locais e horários fora da visão do mundo. Relações que por qualquer motivo não se devem expor aos olhos do mundo, mas que refletem a partilha de duas (ou mais) pessoas. Motéis estão geralmente localizados fora dos olhares e com acessos discretos, permitindo o anonimato dos casais e ao mesmo tempo oferecendo uma ambiência sexy, onde as luzes suaves e coloridas, camas redondas rodeadas de espelhos, filmes porno na TV e algumas bebidas alcoólicas estimulam as fantasias nestas relações amorosas. A hora de almoço permite ter uma ou duas horas livres fora do ambiente de trabalho e familiar; tempo que pode ser usado num almoço, compras ou com um amante secreto num “Lunch Time Affair” . Começámos a fotografar quartos e Motel depois de os casais terem os seus encontros amorosos, fotografando as camas com os lençóis e almofadas revoltos, as toalhas de banho desarrumadas e algum objecto pessoal deixado ao acaso como testemunhos das relações que aí tiveram lugar, preservando todo o mistério e secretismo à volta destas ligações, mas expondo os sinais da sua existência como testemunho da forte interação amorosa e sexual. Este primeiro capítulo “ten rooms for sex” (o mesmo título usado por Katharine Bosse – na exposição de 1998) representa fotografias realizadas num determinado Motel com 10 quartos, cada um com uma temática específica de decoração, que podem ser alugados por um mínimo de duas horas para aí se viverem fantasias eróticas. Estas fotografias têm a sedução do próprio ambiente do quarto por si só e também a sedução deixada à nossa imaginação, das efémeras histórias de amor ali vividas todos os dias. Referencias: Alec Soth - Niagara JH Engström - Foreign Affair Katharine Bosse - Realms of Signs, Realms of Sense Kameraphoto (Valter Vinagre) - Um Diário da República Nadav Kander – Rest/Stay Nan Goldwin - Vakat Sophie Calle - L’Hotel

João Mota da Costa

João Mota da Costa nasceu em 1954, É Médico especialista em cirurgia plástica e reconstrutiva, dedicado à área de cirurgia da mão Coordenador da unidade de cirurgia do punho e mão do Centro de Ortopedia e Traumatologia do Hospital CUF Descobertas. Começou a fotografar aos 13 anos. Autodidata, desenvolveu a sua cultura fotográfica através de exposições e livros de grandes mestres da fotografia ( salientando, entre outros, Antoine DʼAgata, Helmut Newton, JH Engstrom, Jeanloup Sieff, José Manuel Ballester, Jorge Molder , Miroslav Ticky, Paulo Nozolino, Raymond Meeks). Entre 1984 e 1993 ganhou alguns prémios de fotografia, participou em númerosas exposições colectivas e viu trabalhos seus incluidos em diversas publicações. Nos ultimos anos decidiu produzir trabalho de autor de uma forma intensa e optou, desde Outubro de 2010, por estudar fotografia no Atelier de Lisboa onde frequentou cursos técnicos, teóricos e de Projecto com os professores Bruno Pelletier Sequeira, Bruno Santos, José Carlos Duarte, José Pedro Cortes e Paulo Catrica. Realizou em 2010 a primeira exposição individual "abstrações" na Galeria Arthobler e depois na Galeria Novo Ciclo Acer em Tondela. Em 2011 venceu o 1º Prémio do concurso “Como Vejo o Meu Hospital”, organizado pelo Hospital CUF Descobertas, com o livro “ Com uma máquina fotográfica descartável escondida na bata”. Participou em 2012 na primeira sessão de Leitura de Portfólios no laboratório de fotografia CDAP (Carpe Diem) e Leitura de Portfólios nos Encontros da Imagem de Braga 2012. Exposição Final do Curso de Projecto: 4projectos #44semanas #88horas 16 a 29 Março de 2013 – Museu da Cidade - Pavilhão Preto.

Galeria da Estação

Largo da Estação 40, 4700-022 Braga

.

Mais informação

Horário

Terça a Sexta: 10h as 13h e das 14h30 as 18h30 | Sábado: 14h30 as 18h30

Segunda e Domingo: encerrado

Apoios Institucionais

Braga UM DGArtes GovernoPortugal