Nigel Dickinson

"Roma Beyond Borders & Environmental Portraits "

Roma Beyond Borders & Environmental Portraits

Roma Beyond Borders Através da Europa e das Américas 1993-2011 Esta exposição apresenta os Roma (Ciganos) como um povo cuja história não é escrita dentro das fronteiras de um só país. Trata, por um lado, da sua cultura e forma de vida através de um continente. As fotografias retratam ciganos Roma na sua intimidade, numa grande diversidade de circunstâncias, tanto sedentárias como nómadas. As imagens de Ciganos tradicionais finlandeses, dos Kalderasha no Texas EUA, dos Gitanes no festival de Santa Sara, dos Gitanos andaluzes vivendo de drogas, sobreviventes do Holocausto, dos ingleses Romani viajando de cavalo e carroça, do êxodo em massa dos Ciganos durante as guerras dos Balcãs. Do seu dia-a-dia, tradições, festas, dos bons e maus momentos. Também conta a história da Diáspora dos Ciganos pela Europa, uma história de migração, perseguição e sofrimento em que são objeto de racismo, refugiados de guerra e, em muitos lugares, vivem na mais extrema pobreza. A maioria dos Ciganos vive em comunidades insulares, são orgulhosos, muitíssimo fechados, e desconfiam de estranhos. Definem suas próprias barreiras culturais, são muitas vezes extravagantes e vaidosos, em esmagadora maioria são profundamente religiosos, e mantêm normas rígidas de conduta social. Os Ciganos mantêm relações muito fortes com a sua origem: têm a sua própria língua influenciada pelo Sânscrito, Hindi e Urdu e identificam-se muito de perto com a ideia de família, de tradição e de nação. Laços emocionais duradouros chamaram Nigel a revisitar e viver com Ciganos ano após ano. Já se empenhou também em expor os sistemas que os consideram de forma desigual, e em explicar as circunstâncias da sua partida. Embora cada imagem conte uma história, em conjunto as fotografias são um testemunho da experiência de vida europeia dos Roma, da sua cultura vibrante e da sua identidade. Environmental Portraits Wolf C Hartwig & Veronique Vendell Paris, França, Outubro 2010 Wolf C Hartwig, de 91 anos, foi um produtor cinematográfico de imenso sucesso, em filmes épicos, aventuras, documentários e soft core. Em 1977 obteve o prémio Bambi de cinema alemão, por “The Cross of Iron”, dirigido por Sam Peckinpah. Muitos dos filmes de terror de baixo orçamento e de soft core que ele produziu, têm hoje o estatuto de cinema de culto, como “Horrors of Spider Island'” e “Honeymoon in Hell”, e foram vistos por milhões de espectadores. Veronique Vendell, hoje com 70 anos, atriz famosa por mérito próprio, atuou em muitos dos seus filmes soft core, contracenando até com Richard Burton. Jacques Garcia Normandia, França, 2006 Jacques Garcia, aqui retratado no seu refúgio rural na Normandia, “Le Chateau du Champ de la Bataille”, é o mais pomposo decorador de interiores e arquiteto paisagista Francês. É um self-made man. Garcia é responsável pela casa de chá Parisian Ladurée, pelo Hotel Costes e ainda se gaba de contar com o Sultão de Brunei como cliente. A uma hora de distância de carro, de Paris, cerca de Neubourg na Normandia, comprou o castelo há vinte anos, e face a uma das maiores obras-primas da arquitetura Francesa, comprometeu-se a torná-la ainda mais sublime. Praticamente sem tocar na fachada, redesenhou os interiores como luxuosas interpretações barrocas, fazendo lembrar Luís XIV e Maria Antonieta. Os elegantes jardins possuem templos ao estilo romano, um anfiteatro e fontes. O castelo, aberto ao público, atrai 30 mil por ano.

Nigel Dickinson

Nigel Dickinson, a British documentary photographer, photojournalist, and filmmaker, focuses on the environment, marginalized communities, sustainable development, identity and culture. Graduating from Sheffield UK, Dickinson's first show was at Camerawork Gallery, London in 1983; he photographed across South Africa the same year, then the Great Miners Strike 1984-5; later began freelancing for media, in UK and abroad. The late 1980's he documented indigenous land rights and deforestation in Borneo; the early 1990s, the "UK Road Protest Movement", spent several years in Central America and the Balkans, and began his twenty year project 'Roma beyond Borders' which is currently being edited as a 'livre d'auteur'. In 2003, ten-year's work Sara. Le pelerinage des gitans, was published by the same edition, Actes Sud. In 2012 Dickinson returned to Borneo to revisit the native peoples he photographed twenty years before, documenting them through video, photography and multi-media. He is currently developing several video documentary projects for television. Features have been published in National Geographic, Stern, Figaro, Vogue Homme, Marie Claire. His work has been exhibited at the Venice Biennale, Visa Pour l'Image, Arles Rencontres, Moving Walls documentary series in New York, Rivington Place, London, Kolga Tbilisi Photo, Denmark Triennale, and Photo Lucida. Assignments from editorial and NGO's over three decades have taken Dickinson across the Americas, Africa, Asia, and Eastern Europe; covering a diverse range of subjects, including refugees, climate change, environmental disasters, war, the MEAT industry and Islamic Sharia. Dickinson lives and works between Paris, London, and the rest of the world. Awards: "Mad Cows" World Press award 1997; Roma Beyond Borders runner up, Eugene Smith Award 2000; MEAT shortlisted European Publishers award 2006; 'Cambodia' Feature award, UK Press Photographers Year 2008; 'Smokey Mountain' Critical Mass 2011 Solo Exhibition Award.

Museu Alberto Sampaio

R. Alfredo Guimarães 39, 4810-250 Guimarães

.

Mais informação

Horário

Terça - Domingo e Feriados: 10h - 18h

Segunda: encerrado

Apoios Institucionais

Braga UM DGArtes GovernoPortugal