Thaís Medina

"HOLY REVIEWER - Martyrs, Saints and Sinners of Contemporary Photography"

HOLY REVIEWER - Martyrs, Saints and Sinners of Contemporary Photography

"Holy Reviewer - Mártires, Santos e Pecadores da Fotografia Contemporânea" Depois de ter participado de várias revisões de portfólio, comecei a fazer uma leitura sobre o que, para mim, é uma associação entre os revisores e os rantos, desenvolvendo um conceito baseado na minha percepção da leitura de portfolio. O projeto que resultou desse conceito propõe um espaço de reflexão entre artistas, críticos e organizadores de festivais de fotografia que podem levar a novas formas de interação benéfica para todos. Uma e outra vez, eu me vi, ansiosa e nervosa, na frente do revisor por vinte minutos, mostrando o meu portfolio e esperando que ele fosse se transformar num futuro viável. Eu me senti como se eu estivesse na presença de um "santo", pronto para ouvir os meus "pedidos e promessas". Rezei para que algo positivo pudesse resultar de tudo isso: um prêmio, uma exposição, um livro, o espaço em uma revista, entre outros. Considerando o revisor como alguém dotado por uma instituição, fundação, galeria ou editora, com um "poder supremo", que tem a ver, é claro, com a minha subjetividade como artista. O uso de santos católicos no meu projeto decorre de minhas origens brasileiras, onde essa religião é predominante; assim, é a minha interpretação pessoal de fé que criou um espaço onde arte, santos e revisores se encontram e compartilham sua luta para superar as provações que acabarão por levá-los à "realização". Santos, artistas e revisores devem andar igualmente na estrada da permanente conquista - os candidatos a "santidade" estão sujeitos a vários níveis de análise e avaliação de seus "milagres", a fim de serem canonizados pela Igreja. Assim como o artista, que deve passar por seu próprio calvário, a fim de ser "canonizado" pelo revisor. Ao mesmo tempo, o revisor deve compartilhar a mesma fé para a sua própria "realização": constantemente participando de festivais, adquirindo novos créditos acadêmicos, publicando artigos e acumulando prêmios. Seu sucesso depende do talento do artista, já que eles vão subindo a escada para a reputação e reconhecimento de mãos dadas. Assim, como artista, eu espero "milagres" profissionais do meu revisor e ele, por sua vez, deve ter fé em sua escolha de talentos, a fim de obter o apoio financeiro necessário para transformar um conceito em uma realidade de sucesso que vai nos beneficiar por igual. A definição de fé que decorre do latin fides é o que em última análise nos une. "Crer", entre o artista e o revisor, significa aceitar o outro como habilitado com a autoridade da verdade, conhecimento e talento. Acredito que a fé humana e a divina podem compartilhar o mesmo espaço e nutrir-se uma da outra. A fé é o ponto de encontro para a tua aproximação e compromisso com o teu deus pessoal; não acontece na evidência de uma coisa vista, mas sim com a força da pessoa que "vê", e só pode ser transmitida através do nosso testemunho.

Thaís Medina

Thais Medina (Brasil, 1978), passou os últimos 14 anos realizando uma investigação e documentação conceitual e fotográfica sobre as representações visuais que são geradas a partir das práticas religiosas afro-brasileiras, e suas próprias creenças e superstições. Desde um ponto de vista documental e com uma perspectiva antropológica, a sua intenção é desconstruir essas representações, a fim de entender as várias influências que lhes nutrem.

Casa dos Coimbras

Largo de Santa Cruz 506 Braga, Portugal

A Casa dos Coimbras é um Monumento Nacional, localizado no centro histórico de Braga, e, embora não haja uma data exata de construção, pensa-se que poderá ter surgido em meados...

Mais informação

Horário

Terça a Sexta 10h00-12h30 | 14h30-18h30 Sábado e Domingo 14h30-19h00

Terça a Sexta 10h00-12h30 | 14h30-18h30 Sábado e Domingo 14h30-19h00

Apoios Institucionais

Braga UM DGArtes GovernoPortugal