Bruno Carvalho

"iConfess"

iConfess

Actualmente os conceitos realidade, virtualidade e espiritualidade tendem para uma sobreposição. Os mais recentes desenvolvimentos tecnológicos nos aparelhos de comunicação móvel alteram de um modo fácil e exponencial a flexibilidade do tempo, esvaziando o conceito de espaço, anulando a experiência do real. Estes novos comportamentos modelam a sociedade com particular enfoque para as interacções sociais, promovendo uma cultura-mundo onde impera o Homo Ecranis (Gilles Lipovetsky), onde o ecrã assume uma extensão física como instrumento de relação com o real. Esta nova realidade virtual, sempre presente e ao mesmo tempo sempre distante, torna as interacções sociais fugazes numa profundidade íntima. Por outro lado, o conceito atual de um confessionário é uma necessidade pertinente e o seu objecto urgente. A descrença de que a globalização podia providenciar tudo para todos, levou a um vazio que tende a ser colmatado por um regresso da fé e do sagrado na procura de novas referências de “valor espiritual” que definam novas fronteiras de orientação política e social não materialistas. A persistente crise europeia revela uma alienação da sociedade baseada em realidades ilegais e imorais arquitectadas por minorias políticas e corporativas com a cumplicidade de uma sociedade de maioria individualista e hiper consumista.

Bruno Carvalho

Designer sem estúdio, objecto ou material preferido. O seu trabalho incide sobre cultura material em contextos geográficos, culturais e temporais específicos. Licenciado em Design Cerâmica, pela ESAD.CR, em 2007. Colaborou com os designers Miguel Vieira Baptista e Fernando Brízio e realizou estágio Leonardo Da Vinci, em 2008, no estúdio do designer Maarten Baas onde colaborou como freelancer até 2012. Concebeu e coordenou os projetos de residências Experimenta o Campo, parceria entre ESAD.CR e o CENTA, e a plataforma internacional Made Out Portugal para designers portugueses no estrangeiro. Tem vindo a realizar exposições internacionais como na Design Parade 03 em Hyéres, França, DMY, em Berlim, DDW em Eindhoven. O seu trabalho tem sido exposto através das galerias Fumi- Londres, I Live Tomorrow- Hong-Kong, e Show Me - Braga. Foi co-curador da exposição Never for Money, Always for Love, no Museu MUDAM no Luxemburgo. Participou no colóquio Design, Poverty, Fiction Reloaded, inserido na Luxembourg Design City, com o filósofo Anselm Jappe e a crítica e professora Catherine Geel. Foi bolseiro da Fundação Oriente em Jingdezhen, China, onde desenvolveu o projeto CHINaWARE sobre a cultura material chinesa e a China contemporânea. Participou na exposição Como se Pronuncia Design em Português, no MUDE, Lisboa e foi convidado a integrar a edição da Revista Camões, dedicada ao Design, na secção Vozes Críticas. Recentemente foi convidado a integrar a exposição de design Português, em São Paulo, no âmbito do Ano Português do Design.

Mosteiro de Tibães

Rua do Mosteiro - Mire de Tibães

O Mosteiro de São Martinho de Tibães, antiga Casa Mãe da Congregação Beneditina portuguesa, foi adquirido pelo Estado Português em 1986 e afecto ao Instituto Português do...

Mais informação

Horário

Terça-Feira a Domingo | Tuesday to Sunday | 10h00—19h00

Horário de Inverno (a partir de 24 de Outubro) | Winter time (from the 24th of October) : 10h00 - 18h00

Apoios Institucionais

Braga UM DGArtes GovernoPortugal