Michel Le Belhomme

"Les Deux Labyrinths"

Les Deux Labyrinths

Ainda que detendo um grande respeito pelas tradições clássicas da fotografia, acredito que é indispensável colocá-las em perspetiva. A série “The Two Labyrinths” explora a sua óbvia legenda: a paisagem e a sua representação. A paisagem, o mais recente tema romântico, expressa-se muito frequentemente a partir de um ângulo de contemplação ou deslumbramento. Etimologicamente, uma paisagem é uma apresentação de caraterísticas, personagens, e formas de um espaço limitado. É uma porção de espaço que é representada ou observada, e está sujeita a um ponto de vista.

Mas deve ser primeiramente visto como um sistema, um teorema perfeito de tempo e espaço, de linhas retas e cruzadas, de fronteiras limitadoras e combinações misturadoras. Nesta série, escolhi convictamente estar “em conflito” com a paisagem, quer pela visão, quer pelo produto de espaço, e apesar da sua aparente evidência, assumo que esta pode ser posta em perspetiva e deste modo reinventada. Para isso, humildemente me posicionei numa abordagem estruturalista da abrangência da exploração, análise e experimentação deste produto visível.

Experienciar a paisagem é praticá-la, é colocá-la em contradição, e desse modo criar uma visão periférica. O visível afirma-se assim através da desconstrução e da modificação. Sem se afastar da função primária da imagem, que é mostrar, esta série elabora criaturas híbridas e extravagantes, imagens de imagens, representações de representações, e ressonâncias de múltiplos ecos.

A meio caminho entre imagens fantasiadas, suspensas entre documentação e ficção, e uma experiência visual com uma absurdeza flutuante e uma ironia metafórica; a realidade move-se velozmente desde a evidência até à abstração, do cheio ao vazio, da imitação à simulação. O visível torna-se assim minimalista, fantasmagórico, um nulo deslumbrante, um trabalho de ficção.

Michel Le Belhomme

Michel Le Belhomme nasceu em França, em 1973, e estudou na Escola de Arte de Rennes. Na atualidade é professor de Fotografia na mesma escola onde estudou. Foi vencedor do Mission Jeunes Artistes (2010, Toulouse) e do primeiro prémio Prix lacritique – Voies Off, em Arles. As suas exposições a solo incluíram locais como: Galerie le LAC GELÉ, em Nîmes, França (2013) e Cuadro Art Gallery, no Dubai.

Mosteiro de Tibães

Rua do Mosteiro - Mire de Tibães

O Mosteiro de São Martinho de Tibães, antiga Casa Mãe da Congregação Beneditina portuguesa, foi adquirido pelo Estado Português em 1986 e afecto ao Instituto Português do...

Mais informação

Horário

Terça-Feira a Domingo | Tuesday to Sunday | 10h00—19h00

Horário de Inverno (a partir de 24 de Outubro) | Winter time (from the 24th of October) : 10h00 - 18h00

Apoios Institucionais

Braga UM DGArtes GovernoPortugal