Edgar Martins

"The Poetic Impossibility to Manage the Infinite"

The Poetic Impossibility to Manage the Infinite

The Poetic Impossibility to Manage the Infinite (2014) é o mais completo levantamento fotográfico de sempre, acerca de uma das mais importantes organizações científicas e espaciais, e o resultado de uma longa colaboração com a Agência Espacial Europeia (ESA, na sigla inglesa).

Em 2012, Edgar Martins obteve um ímpar acesso à ESA e a programas do seus parceiros, incluindo micro-gravidade, exploração humana do espaço, exploração lunar, de Marte e de Mercúrio. Nos últimos dois anos viajou para 20 locais entre o Reino Unido, Holanda, França, Alemanha, Espanha, Rússia, Cazaquistão e Guiana Francesa para fotografar instalações confidenciais, tais como centros de testes, departamentos de robótica, simuladores espaciais, laboratórios, locais e plataformas de lançamento, centros de formação de astronautas e salas de montagem de satélites.

As fotografias foram tiradas usando longas exposições (até uma hora) e uma câmara 10x8” de grande formato. A sua composição limpa e a sua nitidez hiper-real contrastam profundamente com o véu de sigilo e enigma que frequentemente envolve a atividade relacionada com o espaço. Embora raramente visto pelo público, a tecnologia e as instalações apresentadas no projeto The Poetic Impossibility to Manage the Infinite parecem estranhamente familiares, sublinhando a influência que a cultura popular tem na formação da nossa compreensão sobre a exploração espacial.

A exposição rigorosa ao estilo de um estudo, de Edgar Martins revela a grande dimensão deste esforço científico global, talvez o melhor do nosso tempo. The Poetic Impossibility to Manage the Infinite documenta a nossa demanda em atravessar a realidade astrofísica do universo de forma a melhor compreender o tempo, o espaço e a matéria. Ao fazer isso, Edgar Martins destaca as alargadas políticas da exploração espacial, o crescente papel da ciência e da tecnologia na nossa sociedade e na nossa relação com o desconhecido, dando abertura a questões mais vastas sobre epistemologia, metafísica e por fim a sua própria conceção da humanidade.

Edgar Martins

Edgar Martins nasceu em Évora, em 1977, e cresceu em Macau. Mudou-se para Inglaterra em 1996, onde completou a sua formação em Belas Artes e Fotografia, primeiro no London Institute e depois no Royal College of Art, em Londres. O seu trabalho está representado internacionalmente em inúmeras colecções e, nos últimos anos, recebeu prestigiosos prémios. Os seus trabalhos têm sido exibidos internacionalmente em instituições, tais como, PS1 MoMA (Nova York, EUA), MOPA (San Diego, EUA), Laumeier Sculpture Park (St. Louis, EUA), Centro Cultural de Belém (Lisboa, Portugal), Fundação Calouste Gulbenkian (Lisboa/Paris), Centro Cultural Hélio Oiticica (Rio de Janeiro, Brasil), the New Art Gallery Walsall (Walsall, RU), The Wolverhampton Art Gallery (Wolvehrampton, RU) the Gallery of Photography (Dublim, Irlanda), entre outras. Edgar Martins recebeu vários prémios, tais como, Thames & Hudson & RCA Society Book Art prize (2002), The Jerwood Photography Award (2003), the New York Photography Award (2008), the BES Photo Award (2008), entre outros. Foi selecionado para representar Macau no 54th Venice Biennale. Edgar Martins vive e trabalha em Inglaterra.

Mosteiro de Tibães

Rua do Mosteiro - Mire de Tibães

O Mosteiro de São Martinho de Tibães, antiga Casa Mãe da Congregação Beneditina portuguesa, foi adquirido pelo Estado Português em 1986 e afecto ao Instituto Português do...

Mais informação

Horário

Terça-Feira a Domingo | Tuesday to Sunday | 10h00—19h00

Horário de Inverno (a partir de 24 de Outubro) | Winter time (from the 24th of October) : 10h00 - 18h00

Apoios Institucionais

Braga UM DGArtes GovernoPortugal