Edição 2017

Edição 2017

O Festival

13 de Julho de 2017

 

Festival Encontros da Imagem celebra este ano, trinta anos da sua fundação. Com a sua primeira edição realizada em 1987 e apesar do ponto de partida ter sido uma antiga associação ligada às práticas da fotografia e do cinema amador, o projeto dos Encontros da Imagem foi, ao longo destes anos ganhando forma, redefinindo-se progressivamente, para se adaptar aos desenvolvimentos estéticos e formais da fotografia criativa e contemporânea, não esquecendo contudo, os autores mais clássicos.

Num tempo em que a imagem adquire uma força inesperada, demonstrada pelo poder que tem de cativar e até iludir, os territórios da fotografia têm ganho cada vez mais importância e vivacidade.

Todos os anos, durante o meses de setembro e outubro, os Encontros da Imagem ocupam diversos edifícios históricos, museus e galerias. Nestes diversos espaços, um público alargado tem à sua disposição inúmeras exposições, enquadradas por diversas temáticas.

Depois de vinte e seis edições realizadas e trinta anos passados, os Encontros da Imagem, são hoje uma referência quase única da cultura fotográfica em Portugal e alcançaram já uma posição de destaque no panorama internacional, sendo atualmente um dos festivais de fotografia mais antigos e reputados da Europa.

Ao comemorar 30 anos desde a primeira edição e lançamento do Festival Internacional Encontros da Imagem, a atual Direção da Associação, propõem-se levar a efeito, como marca comemorativa, a inauguração de um Espaço Galeria. Nesse sentido e considerando em particular o facto da Associação ocupar agora um novo espaço físico, no antigo Edifício da Estação dos Caminhos de Ferro de Braga e lhe ter sido entregue uma sala, a Direção propõe-se torna-lo num espaço para exposições de referência, constituindo-se como um projeto de divulgação da fotografia, numa linha de continuidade dos objetivos dos Encontros da Imagem, a desenvolver-se ao longo do ano.

30 Anos

13 de Julho de 2017

 

Tendo tido a sua primeira edição em 1987, o Festival Encontros da Imagem celebra este ano, portanto, trinta anos da sua fundação. A edição de 2017 decorrerá entre os dias 15 de setembro e 29 de outubro e será uma edição de celebração. Encontros da Imagem – 30 anos.

Há trinta anos, o panorama fotográfico nacional e internacional era bastante restrito com um reduzido número de autores, sobretudo nacionais. O Festival procurou através do seu reduzido número de exposições, apresentar em Braga alguns autores clássicos, fundamentais ao conhecimento e compreensão da História da Fotografia, como também em simultâneo, dar a conhecer nomes essenciais da contemporaneidade.

Os Encontros da Imagem foram-se redefinindo progressivamente para se adaptar aos desenvolvimentos estéticos e formais da fotografia criativa que constitui o objeto central do acontecimento.

Depois de vinte e seis edições realizadas e trinta anos passados, os Encontros da Imagem, são hoje uma referência quase única da cultura fotográfica em Portugal e alcançaram já uma posição de destaque no panorama internacional, sendo atualmente um dos festivais de fotografia mais antigos e reputados da Europa.

Num tempo em que a imagem adquire uma força inesperada, demonstrada pelo poder que tem de cativar e até iludir, os territórios da fotografia têm ganho cada vez mais importância e vivacidade.

Os Encontros da Imagem têm vindo a alicerçar relações de colaboração  com outros Festivais e Instituições no sentido de promover, preservar e valorizar a cultura fotográfica. Esta é uma tarefa imprescindível, quer enquanto atitude pedagógica, quer na conquista e sensibilização de novos públicos. É ainda de referir que o Festival tem estabelecido relações de parceria com diversas instituições públicas e privadas, em particular com instituições autárquicas e de ensino. Relações essas, que levam também à conquista do interesse pela fotografia nas mais diversas comunidades, nomeadamente a escolar, o que representa um acrescido ganho de públicos.

Nesta edição, a ausência de um tema específico é propositada. Será uma edição de celebração. No entanto, o festival continuará numa aposta de programação eclética, pretendendo confrontar e refletir em torno das atuais propostas temáticas da fotografia. Poderão ser vistos trabalhos de inúmeros artistas, nacionais e estrangeiros, espalhados por diversos espaços públicos e privados (edifícios históricos, museus, galerias e outros).

A Direção dos Encontros da Imagem

Open Call

13 de Julho de 2017

Open Call Finalists 

O júri convidado (Elina Heikka, Vitor Nieves, Bruno Sequeira, Carlos Fontes e Rui Prata)terminou ontem dia 10 de Agosto, a seleção dos trabalhos finalistas à OPEN CALL para os Discovery Awards 2017, inserido nos Encontros da Imagem – 30 anos.
Foi uma tarefa difícil, dada a qualidade dos trabalhos apresentados pelos 232 candidatos provenientes de todos os continentes. Dos 41 países representados é de salientar a grande participação de países europeus (24), com especial destaque para Portugal com 26% do total dos participantes.
Abaixo, elencamos os nomes dos artistas selecionados a quem desde já endereçamos novamente os nossos parabéns.
Aproveitamos para informar que os trabalhos estarão patentes ao público, organizados em exposições coletivas, distribuídos por quatro espaços diferentes no âmbito da edição comemorativa do festival que decorrerá em Braga entre os dias 15 de setembro e 29 de outubro, 2017. O fim de semana inaugural, terá lugar de 15 a 17 de Setembro, com realização de diversas atividades.

 

Finalistas da Open Call 

 

ANDREAS TSCHERSICH
– Suiça-
ANJA BOHNHOF
– Alemanha-
ANNA JORNET PUIG
– Espanha-
ANTONIO GUERRA
– Espanha-

 

DAFNA TAL
– Israel –
DELPHINE BURTIN
– Suíça-
EUI-JIP HWANG
– Coreia do Sul-
FRANKY VERDICKT
– Bélgica-

 

JACEK FOTA
– Polónia-
JACQUIE MARIA WESSELS
– Holanda-
JOHN PAUL EVANS
– País de Gales-
LOIC VENDRAME
– França-

 

LYDIA PANAS
– EUA –
MARIA STURM
– Roménia-
PABLO-MARTÍN CÓRDOBA
– Argentina-
PAWEL STARZEC
– Polónia-

 

REA PAPADOPOULOU
– Grécia-
ROBERTO FERNÁNDEZ IBÁÑEZ
– Uruguai-
TÂNIA DINIS
– Portugal-
TIAGO COELHO
– Brasil-
Exposições

13 de Julho de 2017

 

Na edição do Festival deste ano, Encontros da Imagem – 30 anos, um ano de celebração, não haverá um tema específico. Poderão ser vistos trabalhos de inúmeros artistas, nacionais e estrangeiros, espalhados por diversos espaços públicos e privados (edifícios históricos, museus, galerias e outros).

Retomando uma prática de há muitos anos – a da descentralização, os Encontros da Imagem, com o objetivo de dar também um contributo para uma regionalização pela cultura, alargar-se-ão este ano, às restantes cidades vizinhas do quadrilátero urbano (Barcelos, Guimarães e Vila Nova de Famalicão) e ainda à cidade do Porto.

Está programado um quadro expositivo de 34 exposições, sendo 24 delas na cidade de Braga e 10 distribuídas pelas outras quatro cidades.

Na  programação deste ano, foi inovador o convite feito a alguns artistas plásticos, para a criação de obras em diversos suportes, que estabelecem um diálogo com obras fotográficas do acervo dos Encontros da Imagem.

O festival dará ainda grande enfoque à fotografia portuguesa, havendo uma ampla participação de artistas nacionais, quer em mostras individuais, como coletivas. Haverá também lugar para o conhecimento de novos autores emergentes, sobretudo europeus, através de exposições, que serão o resultado de uma Open Call. Serão ainda mostrados, do acervo dos Encontros da Imagem, alguns autores mais clássicos, tendo como contraponto, obras de autores contemporâneos.

Atividades

13 de Julho de 2017

 

A programação da edição comemorativa dos Encontros da Imagem – 30 anos, englobará um conjunto diversificado de atividades, tendo sempre como referências as áreas da criação, da produção da formação e divulgação da fotografia nacional e internacional. Haverá atividades para públicos específicos com foco particular na fotografia, bem como outras para o público em geral. Será dada grande importância ao público jovem, nomeadamente com a organização de ações especificas e de um serviço educativo.

Assim, a programação das atividades será constituída por sete áreas que se complementam:

Exposições – está programado um quadro expositivo de trinta e quatro (34) exposições, sendo 24 delas na cidade de Braga, ocupando 10 espaços diferentes.

As outras 10 exposições, constituirão uma extensão significativa dos Encontros a quatro cidades: Barcelos, Guimarães, Vila Nova de Famalicão e Porto, ocupando oito espaços distintos.

Na programação deste ano, foi inovador o convite feito a alguns artistas plásticos, para a criação de obras em diversos suportes, que estabelecem um diálogo com obras fotográficas do acervo dos Encontros da Imagem.

O festival dará ainda grande enfoque à fotografia portuguesa, havendo uma ampla participação de artistas nacionais, quer em mostras individuais, como coletivas. Haverá também lugar para o conhecimento de novos autores emergentes, sobretudo europeus, através de exposições, que serão o resultado de uma Open Call. Do espólio dos Encontros da Imagem, serão mostrados autores mais clássicos, tendo como contraponto obras de autores contemporâneos;

Open Call – reafirmando a vontade de continuar a lançar autores emergentes, o festival promoverá uma chamada pública de artistas nacionais e internacionais,   com o objetivo de serem selecionados – com a participação de um júri internacional composto por três elementos – entre 16 e 20 autores, cujas obras constituirão uma ou mais exposições  que integrarão a edição do presente ano. Com esta ação, o festival aproxima-se mais das comunidades e valoriza a importância da imagem na construção da memória coletiva;

Residências artísticas – o convite feito a dois artistas – um nacional e outro estrangeiro, proporcionará através das mesmas que se realizarão em Braga, durante uma semana, a criação de obras que constituirão objeto de duas exposições a ter lugar no Convento de S. Francisco de Real;

Projeções – serão promovidos em espaços públicos, no Largo do Paço e no Rossio da Sé – projeções fotográficas e videográficos dedicadas não só a autores emergentes, nomeadamente os que possam resultar da Open Call deste ano, mas também de trabalhos de autores existentes no espólio Encontros.;

Ciclos de cinema: em projeções videográficas, será realizado um ciclo de cinema dedicado à temática da fotografia e biografias de fotógrafos que se desenvolverá ao longo do período em que decorrem os Encontros;

Conferências, workshops e serviços educativos – Quanto ao serviço educativo dedicaremos aos grupos escolares uma atenção particular através de visitadas guiadas e orientadas às exposições.

Para um público mais diretamente associado às artes visuais, estão programados workshops e conferências.

Instameet – A programação contempla ainda uma atividade direcionada para o grande público – principalmente o mais jovem, através da realização de uma PhotoWalk para Instagramers. Assim, com o recurso às novas tecnologias de informação e às redes sociais, procura-se também estimular e democratizar a imagem. Durante o Instameet, todos os participantes vão partilhando a experiência através de hashtags comuns.

Locais

13 de Julho de 2017

 

Retomando uma prática de há muitos anos, a da descentralização, os Encontros da Imagem, com o objetivo de dar também um contributo para uma regionalização pela cultura, alargar-se-ão este ano, às restantes cidades vizinhas do quadrilátero urbano (Barcelos, Guimarães e Vila Nova de Famalicão) e ainda à cidade do Porto.

Em Braga, as exposições ocuparão 10 espaços diferentes (Mosteiro de Tibães, Convento de S. Francisco de Real, Museu da Imagem, Museu Regional de Arqueologia D. Diogo de Sousa, Museu Nogueira da Silva, Salão Medieval da Reitoria da Universidade, Casa dos Crivos, Casa Esperança, Estação Galeria e B-Lounge da Biblioteca Geral do Polo de Gualtar da UM.

As restantes 10 exposições, que constituem uma extensão significativa dos Encontros a mais quatro cidades, ocuparão 8 espaços distintos: Barcelos (Teatro Gil Vicente e Galeria Municipal do Turismo), Guimarães (Museu Alberto Sampaio e B-Lounge da Biblioteca Geral do Polo de Azurém da UM) e Vila Nova de Famalicão (Casa Soledade Malvar), com duas exposições em cada uma destas cidades. Na cidade do Porto, haverá quatro exposições, que poderão ser vistas, duas no Palacete Viscondes de Balsemão, uma na Galeria Mira Fórum e a outra na Galeria do IPCI – Instituto Produção Cultural e Imagem.

Exposições

 
 

Exposições