Edição 2012

Edição 2012

Introdução
A adolescência e a juventude são momentos da vida do ser humano de grande complexidade. É uma idade imprecisa, com características ambíguas consoante as épocas, culturas e países. Do ponto de vista etário, é um período compreendido entre os 12 e os 18 anos. Contudo, nas sociedades ocidentais pode-se alargar até aos trinta, em virtude da separação das famílias, independência económica, entre outros fatores.
Para além das acentuadas transformações físicas verificam-se profundas alterações de ordem psicológica. A complexidade deste período envolve inúmeras situações. Algumas mais comuns são o desejo de afirmação, liberdade, arrogância. Mas por vezes desaguam também em patologias depressivas ou situações de anorexia e bulimia. Nalgumas sociedades, a mão-de-obra juvenil é também utilizada, como mão-de-obra barata, ou canalizada para a marginalidade: tráfico de estupefacientes e prostituição.
Ao longo da história da fotografia as imagens da juventude têm sido um tema bastante explorado. Como tal, julgamos que neste novo dealbar do século XXI, em que as novas tecnologias e as redes sociais vieram introduzir profundas mudanças comportamentais, que o tema da JUVENTUDE seja abordado e refletido desde novas perspetival e formas de representação.

 

Celebrando a cidade de Braga a CAPITAL EUROPEIA DA JUVENTUDE esta temática torna-se naturalmente adequada. Em virtude desta celebração, Braga será visitada por milhares de jovens que acorrem aos fóruns e outras atividades a desenvolver ao longo do ano, tornando um epicentro preferencial para a temática eleita pelos Encontros da Imagem.
Assim, encontra-se em fase de preparação uma exposição coletiva – Facing Youth – que procurará dar uma visão abrangente da juventude europeia. Além daquela exposição encontram-se agendadas outras exposições de jovens autores e que estarão disseminadas em diversos espaços expositivos da cidade.
Para além do vasto leque de exposições, onde se procurará incluir todos os países da comunidade europeia, encontram-se agendadas um conjunto de atividades (conferências, debates, projeções, oficinas) direcionadas para o mundo juvenil, a fim de não só os levar a melhor compreender o seu staus quo, como também a propiciar momentos de lazer e ferramentas de descodificação das artes visuais atuais.

Atividades

Braga on the roof

Locais Associados · 2012/09/07 · 18h30 · Hotel Mercure, Braga

 

Qual é a sua?

Locais Associados · 2012/09/08 · 21h30 · Velha-a-Branca, Braga
Curadoria: Simone Rodrigues Autores:André Miranda, Inês Quiroga Daniel Filippini, Débora Santana, Raquel Guerra, Pedro Faillace, Diogo Carreira, Simone Tomé.

 

Sunday, back home

Locais Associados · 2012/09/19 · 22h00 · Cineclube de Guimarães, Guimarães
Exposição por Milo Montelli

 

Leitura Crítica de Portfólios – Emergentes / DST

Vários · 2012/09/19 – 2012/09/20 · Espaço Emergentes DST – Rua do Raio, 175, Braga

 

Fotografia Nórdica Contemporânea (Finlândia, Suécia, Noruega, Dinamarca e Islândia), por Elina Heikka

Conferências · 2012/09/20 · 21h30 · Casa do Rolão, Av. Central, Braga

Do Feminismo Fantasista às Questões Sociais – Aspetos da Fotografia Nórdica contemporânea

Nos anos 70 foi estabelecida nos países Nórdicos uma forte base institucional para a fotografia. Foram fundados museus de Fotografia na Finlândia em 1969, e na Suécia em 1971, e muito pouco depois surgiram as primeiras galerias de fotografia, que começaram a aparecer nos finais dos anos 70 na Dinamarca, Suécia e Finlândia. Ao observar o cenário da fotografia Nórdica no fim do século XX, é evidente que entre os cinco países, a Suécia, assumia um papel de protagonismo até à década 90.
Presentemente, a fotografia é uma arte próspera em todos os países Nórdicos, Finlândia, Suécia, Dinamarca, Noruega e Islândia, mas durante os últimos dez anos foi principalmente a Finlândia que se tornou conhecida pela excecional variedade de arte fotográfica de alta qualidade. A “Fotografia Nórdica” contemporânea não cabe dentro de qualquer definição devido à enorme variedade de abordagens que podem encontrar-se na interpretação mundo ao seu redor, feitas pelos fotógrafos. A recente vaga de Feminismo fantasista, um revivalismo de “naturezas mortas” e da muito popular atitude Pessoal é político no que diz respeito às questões sociais, são alguns dos aspetos da fotografia Nórdica contemporânea que foram considerados pela diretora Elina Heikka, e pela curadora-chefe Anna-Kaisa Rastenberger, do Museu Finlandês de Fotografia.

 

Três Conferências

Conferências · 2012/09/21 · 17h00 · Casa do Rolão, Av. Central, Braga

O Panorama da Fotografia no Brasil por Ângela Magalhães, Rio de Janeiro

Através de um expressivo conjunto de imagens será apresentado um panorama da fotografia brasileira contemporânea. No viés curatorial adotado, o que está em pauta é a questão da identidade cultural, plasmada sob a perspectiva local-global, representada na produção de ensaios de artistas-fotógrafos consagrados e outros de trajetórias mais recentes.

O Rio de Janeiro e a fotografia panorâmica por Maria Inez Turazzi, Rio de Janeiro

A cidade do Rio de Janeiro é, por si só, uma cidade panorâmica. Natureza monumental e paisagem construída há séculos inspiram narrativas textuais e visuais de sua paisagem. O patrimônio iconográfico do Rio reúne o maior conjunto de panoramas já realizados no Brasil, em diferentes épocas, técnicas e suportes. Por outro lado, as imagens da cidade, tomadas a partir do século XIX como emblemas visuais do Brasil, ajudaram a transformá-la em representação simbólica da nação. Os panoramas do Rio inscrevem-se, assim, em um longo processo de valorização da paisagem carioca como bem patrimonial de uma coletividade mais ampla do que aquela formada tão somente por seus habitantes. A apresentação, acompanhada por um conjunto expressivo de imagens, abordará algumas singularidades e tensões desse processo em um percurso visual até os dias atuais.

A História da Fotografia Europeia no Século XX, por Michaela Bosakova, SEDF – FOTOFO, Bratislava

Caraterísticas do projeto

A História da Fotografia Europeia (1900-2000) é um projeto internacional de pesquisa, abrangendo toda a Europa. O seu principal objetivo é publicar uma enciclopédia em Inglês (5000 cópias por volume, cerca de 600 páginas por livro), dividida em três volumes por períodos: volume 1 de 1900 a 1938, volume 2 de 1939 a 1970 e volume 3 de 1971 a 2000. Cada volume da enciclopédia será organizado alfabeticamente por país. Um estudo sobre a história da fotografia de cada país será escrito por um especialista em fotografia, desse mesmo país. Para além dos estudos principais, cada livro conterá bastante material adicional, biografias dos fotógrafos mencionados bem como calendários assinalando eventos culturais, sociopolíticos e técnicos sobre fotografia, de cada país, durante determinado período. Cada livro terá dois tipos de índices: o dos fotógrafos mencionados e o de outros nomes históricos e temas. Durante os últimos três anos, formámos uma equipa de 46 reconhecidos especialistas de 35 países, tais como Gerry Gadger, Hans Michael Koetzl, Mark Tamisier, Vladimír Birgus, Jan-Erik Lundström (ver abaixo). Por meio desta estratégia podemos assegurar uma qualidade superior de informação. O primeiro volume pode ser publicado já na primavera de 2010, o segundo volume deverá sair em novembro de 2010 e o terceiro está em preparação para ser publicado dentro de dois anos.

Grupos-alvo

Os grupos- alvo desta enciclopédia, a História da Fotografia Europeia do Século XX em Inglês, o primeiro do género no campo da fotografia, não são apenas peritos e estudiosos de fotografia Europeia, mas igualmente um público mais vasto interessado em arte e em fotografia. Além disso, pretende-se que sirva como recurso de referência para instituições educativas, escolas, bibliotecas, instituições culturais públicas, galerias e museus. Tratando-se da primeira visão geral complexa sobre a Fotografia Europeia do século XX, a enciclopédia é uma fonte primária para o estudo da fotografia. No campo da ciência o livro representa o staus quo do conhecimento em cada um dos países Europeus e como tal constitui uma base de investigação para historiadores de fotografia e arte. Na esfera comercial, a fotografia tem vindo a conquistar maior popularidade entre um público mais vasto, a qual se reflete não só em leilões e vendas, mas também no mercado das exposições e publicações sobre fotografia.

Resultados a longo prazo

O nosso principal objetivo é preencher uma lacuna na teoria da fotografia. Enquanto todas as publicações existentes sobre este tópico incidem apenas em países que lideram o campo da fotografia, como a França, a Inglaterra ou a Alemanha, omitindo mais de metade do continente, nós oferecemos uma visão completa sobre o desenvolvimento fotográfico no século 20, da Islândia à Rússia e da Escandinávia ao Mediterrâneo. Esta publicação em três volumes, abrirá também caminho a futura investigação científica e a estudos comparativos a nível pan-Europeu.

 

New Dutch Photography Talent

Noite do Livro · 2012/09/21 · 21h30 · Livraria 100ª Página, Braga

New Dutch Photography Talent, da Gup Magazine, por Erik Vroons. Festa + livros + imagens.

A GUP Magazine é uma revista internacional de renome sobre fotografia, que foge ao tradicional e publica quatro números temáticos, inspiradores e surpreendentes, por ano. Foi criada em 2005, e está sediada em Amsterdão. Dirige-se particularmente a uma audiência de espírito jovem e com interesse geral em fotografia e trabalha tanto com fotógrafos estabelecidos, como com emergentes.
GUP é uma revista de bolso, para um nicho do mercado, acessível em mais de 20 países no mundo, com uma tiragem de 15.000 exemplares. Para além de portfolios, a revista – que funciona como um guia – inclui artigos, referências a websites motivadores de fotógrafos, e uma agenda de exposições.
NEW: Dutch Photography Talent 2012 é uma iniciativa da equipa editorial da GUP Magazine. Este catálogo de 1.2 quilos tem mais de 400 páginas, que destacam os trabalhos de 100 fotógrafos holandeses emergentes. O país tem uma tradição rica em artes visuais e como tal possui uma extraordinária rede de escolas, academias – tanto subsidiadas pelo governo como privadas – bem como outras instituições de formação, e isso reflete-se na grande variedade de estilos de fotografia representados neste catálogo. Da fotografia documental à comercial, do retrato às paisagens arquitetónicas, tudo está nele incluído. NEW foi financiado pelos próprios fotógrafos e foi enviado a potenciais clientes (editoras, agências, museus, galeristas) e está também à venda em diversas livrarias em todo o mundo.
O projeto já provou ser um sucesso e já estão a ser feitos planos para a versão de 2013.

 

A Prática da Lomografia

Workshops · 2012/09/21 · Museu D. Diogo de Sousa, Braga

 

Gala de Entrega do Grande Prémio de Fotografia Emergentes DST

Vários · 2012/09/22 · 21h00 · Theatro Circo, Braga

21h00 Inauguração da exposição “Emergentes dst” [salão Nobre]

21h30 Projeção de imagens / música “Filho da Mãe” [sala principal]

22h15 Anúncio do vencedor [sala principal]

22h30 Concerto Jay-Jay Johanson [sala principal]

 

Projecção dos Finalistas Prémio Emergentes DST

Projecções · 2012/09/22 · 23h59 · Casa dos Coimbras, Braga
… e After Party do anúncio do vencedor.

 

Painel Lomo faces

Locais Associados · 2012/09/22 · Praça da República, Braga

 

Easy Rider

Noites de Cinema · 2012/09/27 · 21h30 · Casa dos Coimbras, Braga
De Dennis Hopper. 1969 – 95 min.

 

Projecção dos Finalistas Prémio Emergentes DST

Projecções · 2012/09/28 – 2012/09/29 · 23h00 · Casa dos Coimbras, Braga

 

Rumble Fish

Noites de Cinema · 2012/10/03 · 21h30 · Casa dos Coimbras, Braga
De Francis Ford Coppola. 1983, 94 min.

 

Projecção dos Finalistas Prémio Emergentes DST

Projecções · 2012/10/05 – 2012/10/06 · 23h00 · Casa dos Coimbras, Braga

 

Arena + Elephant

Noites de Cinema · 2012/10/10 · 21h30 · Casa dos Coimbras, Braga

Arena, from João Salaviza, 2009, 16 min.

Elephant, from Gus Van Sant. 2003, 81 min.