Ingrid Weyland

Topographies of Fragility

Viajei desde o sul da Argentina até ao gelo da Groenlândia. Sempre me senti atraída por ambientes solitários e silenciosos, através da conexão a um ponto no qual esses espaços se tornassem uma fonte de moderação e proteção, um santuário privado. Talvez tenha sido por causa desse sentimento que em casa desenvolvi uma estratégia para tentar devolver o que sentia à natureza. Em homenagem, e possível despedida, ao meu refúgio emocional que passou por uma forte degradação ambiental, e através da materialidade da imagem impressa, pretendo destacar os violentos danos sofridos pelos locais que fotografo, através da manipulação e distorção dos meus ambientes pessoais. Nestas paisagens, que à primeira vista pareciam intocadas e imaculadas, notamos aqui o seu declínio, a sua deterioração; e isso torna-se um alerta, uma forma de questionar a nossa relação com o mundo natural. Diz-se que um pedaço de papel amassado nunca pode recuperar a sua forma original; os vestígios não desaparecem. Da mesma forma, a natureza desrespeitosamente invadida ficará para sempre danificada e muitas vezes isso é irrecuperável. Esta é uma série em desenvolvimento.

  • Exposição:

     

    Galeria do Paço da UMinho

    Segunda a Sábado: 10h00 - 18h00

logo for Topographies of FragilityTopographies of FragilityTopographies of FragilityTopographies of Fragility