Alex Kemman

The Greater Zab, The Last Free River of Mesopotamia

O nível de água do rio Tigre está historicamente baixo. As barragens na Turquia, Irão e Iraque transportam um alto custo rio abaixo. A terra entre dois rios - a Mesopotâmia - está a secar.

Apenas um rio na bacia hidrográfica da Mesopotâmia ainda flui livremente: o Grande Zabe. Fornecendo um terço do volume de água ao rio Tigre, é um rio importante para humanos e animais da região.

Este rio nasce nas altas montanhas do sudeste da Turquia, onde por fim desagua na região curda do Iraque. No entanto, dezenas de represas estão planeadas na Turquia e no Iraque, já que as empresas e os governos vêem o rio sem barragens como um potencial inexplorado para a energia hidroelétrica e para a irrigação.

O Grande Zabe já não pode correr livremente.

Este último rio de fluxo livre representa o conflito entre liberdade e controlo. As barragens são instrumentos políticos de controlo do principal recurso desta região e, portanto, do território e da população que nela habita. Algumas represas são até usadas como armas hídricas.

Este projeto segue o curso do Grande Zabe e dos seus afluentes da mesma forma que a água atravessa as fronteiras, e transmite uma sensação de domínio crescente e de tensão oculta, que permeiam a paisagem e a vida de pessoas que enfrentam forças poderosas.

O rio Grande Zabe mostra a repressão e as tentativas de controlar o que não pode ser controlado, na sua forma mais pura.

  • Exposição:

     

    Mosteiro de Tibães (Braga)

    Terça a Domingo e Feriados: 10h00 / 18h00

logo for The Greater Zab, The Last Free River of MesopotamiaThe Greater Zab, The Last Free River of MesopotamiaThe Greater Zab, The Last Free River of MesopotamiaThe Greater Zab, The Last Free River of Mesopotamia