"; logo for Stupid BordersStupid BordersStupid BordersStupid Borders

Stupid Borders

Ruben Martin de Lucas

Exposições
13 Set 2019 > 27 Out 2019
Museu Nogueira da Silva

Minimal Republics

SOBRE A NATUREZA EFÉMERA E ARTIFICIAL DAS FRONTEIRAS, E A INCAPACIDADE DA HUMANIDADE DE VIVER SEM ELAS. 

Através de um simples gesto na paisagem
- Apropriação de 100m2
- desenhar uma fronteira
- e habitar o terreno por um dia
O artista cria uma série de micro-nações absurdas que nos convidam a refletir sobre a natureza de cada fronteira e o próprio conceito de nação.  Os resultados destas ações são “micro estados efémeros”, como um círculo de gesso num pousio, um triângulo delimitado por ripas de madeira que flutuam num enorme reservatório habitado com a ajuda de um bote salva-vidas, um quadrado num estacionamento delimitado com cones de tráfego, etc ... Repúblicas cujo limite vai sempre ao encontro de um critério artificial que é a geometria, cuja duração nunca excede as 24 horas, e cujo único habitante é o próprio artista. São estados ridículos e absurdos, cuja documentação, na forma de fotografias aéreas se torna num conjunto de obras tão simples na estética quanto profundas no seu significado. Gestos poéticos e visualmente eficazes, cuja simplicidade e ironia nos convidam a refletir sobre a natureza artificial e efémera de cada fronteira.  Esta série pertence a STUPID BORDERS (FRONTEIRAS ESTÚPIDAS), um conjunto de projetos conceptuais que questionam a ideia de "nação", e visam o estranho sentimento de posse que o homem exerce sobre a Terra, uma entidade que nos transcende em idade.

 
 
Bureaucracies

SOBRE O DIREITO FUNDAMENTAL DE CIRCULAÇÃO E A IMPOSSIBILIDADE DO SEU EXERCÍCIO. 

Martín de Lucas explora a natureza efémera e artificial de todas as fronteiras através de ações tomadas a cabo na paisagem, onde um grupo de pessoas espera a autorização de outra pessoa para cruzar uma linha, entrar ou sair de um território delimitado. Fronteiras estas que, dependendo do nosso grau de maturidade ou medo coletivo, podem variar entre meras linhas administrativas que estão presentes num mapa, ou entidades físicas na forma de muros insuperáveis. Ações, nas quais o humor e o absurdo são usados como ferramenta para arrastar o espetador para questões mais profundas, revendo assim, um dos nossos direitos fundamentais, o de circulação. Um direito que é coagido por linhas artificiais cujas válvulas raramente funcionam com equidade em ambas as direções. Tudo isto, num mundo onde as nossas oportunidades e o nosso destino dependem totalmente de qual lado da linha nascemos. BUREAUCRACIES é um novo ramo do projeto STUPID BORDERS (FRONTEIRAS ESTUPÍDAS), um conjunto de projetos que explora a natureza líquida do conceito de nação, bem como a natureza efémera das fronteiras e a incapacidade do homem de viver sem elas.

 

* Vencedor EMERGENTES 2018 - Prémio Internacional de Fotografia Encontros da Imagem. 

  • Ruben Martin de Lucas

    Espanha

    Ruben Martin de Lucas nasceu em 1977 em Madrid.
    Ruben fez a licenciatura em Engenharia Civil na Escola Escuela Superior de Ingenieros de Caminos Canales y Puertos na Universidad Politécnica de Madrid. Em 2002 após ter terminado a licenciatura, fez uma viagem de quatro meses pela India, foi nesta altura que se decidiu dedicar totalmente às prática artísticas, nunca tendo exercido como engenheiro. Em 2011 fundou o coletivo Boa Mistura, onde produziu trabalho até 2015. Com raízes na arte urbana, este coletivo produziu trabalho na África Subsariana, Espanha, Noruega, Alemanha, Algéria, México e Brasil. Em 2015 ele começou uma carreira a solo, desenvolvendo um novo corpo de trabalho centrado na relação homem natureza e território. Desde então já expôs extensivamente em galerias, centros de arte, feiras e em exposições coletivas dentro e fora de Espanha. O seu trabalho faz parte de várias coleções internacionais.